Ano X - 2007/2016 - 10 ANOS NO AR - BLOG DO IVSON - "A IGREJA CATÓLICA EM NOTÍCIAS" - EDITADO POR IVSON DE MORAES ALEXANDRE - VOLTA REDONDA - RIO DE JANEIRO - BRASIL
Seja bem-vindo. Hoje é

sexta-feira, 11 de julho de 2014

A final da Copa do Mundo à sombra da Cúpula de São Pedro


RealAudioMP3 Cidade do Vaticano (RV) – Argentina e Alemanha decidem no próximo domingo, no Estádio do Maracanã, a final da Copa do Mundo 2014. Apenas acabou a decisão nos pênaltis contra a Holanda, as redes sociais foram invadidas por imagens com referências ao Papa argentino Bergoglio e ao Papa Emérito alemão Bento XVI. Alguns jornais italianos definiram a partida de domingo como “uma final santa”.

Mas, vamos ouvir o que dizem a respeito os sacerdotes jesuítas Gullermo Ortiz, argentino, e Bern Hagenkord, alemão, responsáveis pelo Programa Espanhol e Alemão respectivamente.

Padre Ortiz: “Eu acho que a Alemanha tem um pouco de medo (risos) porque nós somos famosos pelo futebol e temos jogadores muito bons”!

Padre Hagenkord: “Trabalhamos praticamente ao lado, no mesmo andar….existe um pouco de tensão...mas muito amigável! É um tempo muito intenso para nós alemães, porque pela primeira vez, após não sei quantos anos, chegamos na final e venceremos, obviamente (risos)! O digo em espanhol: venceremos!”.

Colegas na Rádio Vaticano, mas “divididos” até domingo à tarde em dois “fronts” opostos, os dois sacerdotes vivem a expectativa do que acontecerá dentro dos muros leoninos com o apito inicial da partida final:

Padre Ortiz“Francisco não olha TV, não tem TV no seu apartamento, mas Bento XVI sim. Bento, talvez, o convidará para olhar a partida (risos) e talvez, ao invés de olhar a partida, irão à capela rezar, um pela Alemanha e outro pela Argentina!”.

Padre Hagenkord: "Bento não é um grande torcedor de futebol. Francisco torce, mas vai dormir muito cedo, não sei se vai olhar a partida, talvez sim...”.

Mas Padre Ortiz, como argentino, não pode que não dedicar alguma reflexão também ao momento muito delicado pelo qual atravessa o seu o país:

Padre Ortiz"Francisco está muito preocupado com a Argentina onde existe uma situação social e econômica muito particular, onde existe tanta gente que sofre muito. Eu penso que Francisco não deseja que isto seja uma distração... É importante mostrar que nós somos bons, que chegamos à final e mesmo que a copa fique conosco ou com outro, é só um jogo; agora devemos mostrar que somos bons e que devemos superar os problemas com a fraternidade, com o encontro, com o diálogo e a busca do bem comum para todos”.

O futebol permanece como um dos fenômenos mais importantes no mundo, por isto os dois padres jesuítas estão certos de que o esporte ainda será um motivo de união entre os povos:

Padre Ortiz: "O esporte mostra a fraternidade, une. Esta será uma partida que mostrará o melhor de cada um, mas para unir, não para de enfrentar de moto ruim”.

Padre Hagenkord: “O futebol une … mas depois que tivermos vencido (risos) haverá um pouco de tensão. Mas depois se entenderá melhor que este esporte une mais que separa. Mas final é final! Será uma belíssima partida!”.


Texto proveniente da página
do site da Rádio Vaticano 

Nenhum comentário: